Segunda-feira,Maio 27, 2024
12.5 C
Castelo Branco

- Publicidade -

A emocionante ‘carta’ da filha do capitão Salgueiro Maia nos 49 anos da revolução

Catarina Salgueiro Maia não deixou passar em branco mais um aniversário da revolução. A filha do Capitão de Abril, Salgueiro Maia, que faleceu em 1992, escreveu uma emocionante ‘carta’ ao pai, que publicou nas redes sociais.

Catarina vive atualmente no Luxemburgo, mas está sempre atenta ao que se passa em Portugal. E foi com tristeza que ‘alertou’ o militar que liderou a revolução de Abril de 74, sobre “os que querem acabar com tudo o que ajudaste a construir”. Neste desabafo, a filha de Salgueiro Maia promete que não permitirá que ponham em causa o propósito da liberdade que levou o Capitão a avançar com a revolução na madrugada de 25 de 1974.

A emocionante ‘carta’ da filha do capitão Salgueiro Maia nos 49 anos da revolução
Catarina Salgueiro Maia

Aqui fica a “carta” de Catarina Salgueiro Maia.

“Hoje escrevo-te mais tarde mas não poderia deixar passar a data!
São 49 anos! 49 anos daquela madrugada! 49 anos de uma luta constante! 49 anos de liberdade! E mais uma vez, ainda há tanto por fazer!
Hoje escrevo-te em forma de desabafo! Apesar de não estar em Portugal, por vontade própria, vivo num país democrático mas onde ainda há quem queira impor pequenas ditaduras. E nem são ditaduras governamentais! Pessoas que te querem tirar a liberdade de opinião no trabalho, que te impõem pensamentos e que te tentam diminuir face a divergências ridículas! Pessoas que se acham acima de tudo e mesmo acima da lei! Pessoas a quem foi dado algum tipo de “poder” e que se acham superiores em tudo!
Hoje escrevo-te porque, como filha da Revolução, não tolero injustiças!
Hoje escrevo-te porque fui educada a respeitar toda a gente independentemente da cor, ideologia política, religião, nacionalidade… fui educada a não descriminar, a não diminuir, a não menosprezar! Fui educada com amor! E é esse amor que tento transmitir aos teus netos! É com esse amor que luto todos os dias para que haja igualdade, vida, respeito… é esse amor que me mantém forte!

Hoje, 49 anos depois daquela madrugada, ainda lutamos pelos mesmos ideais! Ainda sonhamos, ainda fazemos projectos, ainda vivemos!
Hoje, 49 anos depois daquela madrugada, continuamos livres, mas temos quem querem acabar com tudo o que ajudaste a construir!
Hoje, 49 anos depois daquela madrugada, às vezes ainda é preciso desobedecer!!
Hoje, 49 anos depois daquela madrugada, continuamos a gritar “O povo unido jamais será vencido”!
Hoje, 49 anos depois daquela madrugada, continuo a gritar OBRIGADA, PAI! OBRIGADA POR ME DARES A FELICIDADE DE NASCER E CRESCER EM LIBERDADE!!
Hoje, 49 anos depois daquela madrugada, prometo-te que não permitirei que ponham em causa o teu propósito!!

Hoje, 49 anos depois daquela madrugada, gritamos “25 DE ABRIL SEMPRE! FASCISMO NUNCA MAIS!!

- Publicidade -

Um beijo com todo o meu amor,

Catarina Mau-Feitio ❤️“

 

- Publicidade -
Manuela Teixeira
Manuela Teixeira
Jornalista Durante 35 anos com experiência em rádio, imprensa escrita e web jornalismo. trabalhou no jornal, Público, rádio TSF, Expresso, 24 Horas e Correio da Manhã, entre outros OCS. Como repórter foi correspondente à guerra na Bósnia, Kosovo e Timor. Só faz jornalismo com verdade, rigor e isenção. "Se não for assim, não é jornalismo!”

Destaques

- Publicidade -

Artigos do autor