Quarta-feira,Abril 17, 2024
17.1 C
Castelo Branco

- Publicidade -

CP confirma que cessou contrato com a empresa de serviço de cafetaria e bar

A Comboios de Portugal (CP) confirmou, esta sexta-feira, que decidiu pela resolução imediata do contrato relativo à exploração do serviço de cafetaria e bar a bordo dos comboios Intercidades e Alfa Pendular, prestado pela Apeadeiro 2020, tal como a Federação dos Sindicatos de Agricultura, Alimentação, Bebidas, Hotelaria e Turismo de Portugal (Fesaht) tinha avançado.

CP confirma que cessou contrato com a empresa de serviço de cafetaria e bar
DR

“A CP avançou com a resolução, com efeitos imediatos, do contrato relativo à exploração do serviço de cafetaria e bar a bordo dos comboios Alfa Pendular e Intercidades. A CP já iniciou os procedimentos legais com vista ao lançamento de um novo concurso público internacional, com caráter de urgência”, pode ler-se no comunicado de imprensa enviado às redações.

A CP ressalva que de “tudo fará para que, com a contratação de um novo concessionário para o serviço de bar dos comboios de longo curso, os trabalhadores da Apeadeiro 2020 possam manter os seus postos de trabalho”.

Estes profissionais estão em greve desde 1 de março. Esta questão afeta cerca de 130 pessoas.

A transportadora assegura que “sempre cumpriu com as suas obrigações, pagando à empresa concessionária Apeadeiro 2020 os valores acordados e de forma atempada”, mas “o serviço prestado pela concessionária tem vindo a degradar-se, ao longo dos últimos meses, com o registo de falta de produtos, alimentos e bebidas”.

“Por diversas vezes, a CP alertou a concessionária para as falhas no serviço prestado, exigindo o cumprimento do previsto no caderno de encargos. Infelizmente, a situação não se resolveu, suspendendo o serviço de cafetaria e bar a bordo dos comboios Alfa Pendular e Intercidades, com prejuízo para a CP e para os seus clientes”, destaca a transportadora.

- Publicidade -

A CP reconhece ainda que a “situação dos trabalhadores da Apeadeiro 2020 é delicada, especialmente no que diz respeito aos salários em atraso e, mesmo não sendo da sua responsabilidade, a CP está preocupada com estes trabalhadores e tem desenvolvido todos os esforços para garantir que os seus direitos sejam protegidos”.

 

- Publicidade -

Destaques

- Publicidade -

Artigos do autor

16.04.2024