Segunda-feira,Maio 20, 2024
16.2 C
Castelo Branco

- Publicidade -

Entrevista a Fernando Jorge na cerimónia da tomada de posse do conselho coordenador SEDES Beira Baixa na Covilhã

Fernando Jorge, presidente cessante da SEDES, ex-autarca da Câmara Municipal de Oleiros, foi um dos presentes na cerimónia da tomada de posse do conselho coordenador SEDES Beira Baixa na Covilhã

Com uma vida dedicada à saúde (sendo médico de profissão) e à política por ter sido presidente da Câmara Municipal de Oleiros, Fernando Jorge confidenciou ao O Regiões que um dos projetos que mais desejou e deseja ser concretizado para a beira interior “Sem dúvida que o IC31 é um dos projetos que quero ver concretizado num futuro próximo. Foi um das ideias que sempre desejei ver passar do papel para a realidade e por diversas vezes me reuni com autarcas como os de Idanha-a-Nova, Castelo Branco, pinhal interior e Figueira da Foz, no caso Santana Lopes, em que é do consenso geral a importância que essa via de ligação tem não só para ligação a Espanha, como para o desenvolvimento do turismo no nosso país. Repare que a Figueira da Foz é uma das praias e destinos de praia mais próximas de Madrid, o que a torna um centro de potencial desenvolvimento turístico.”

De raízes naturais da zona do Pinhal, Fernando Jorge falou de alguns projetos e ideias implementadas enquanto autarca de Oleiros, nomeadamente a divulgação e implementação a nível nacional e internacional do vinho Callum, vinho branco de baixo teor alcoólico, que o torna único no mundo e capaz de se diferenciar de todos os outros vinhos, ou da fixação de empresas , entre elas a referência especial à empresa que fabrica componentes para drones que são hoje em dia usados pelo exército israelita e cuja produção é em Oleiros.

De um ponto vista global, Fernando Jorge espera que as novas mudanças não só políticas, como também a nível empresarial, social e económico, tragam à beira interior mais emprego e mais razões para a fixação de pessoas. A concluir esta conversa a O Regiões, Fernando Jorge lamenta que “o nível de natalidade no nosso país é muito baixo. Cerca de 1.2 de racio. Sabem o que aconteceu a civilizações que tinham abaixo de 1.8? Desapareceram. Defendo mais medidas de apoio aos casais que queiram ter filhos e que se criem assim condições a um aumento global da natalidade em Portugal.”

Agradecemos ao Dr. Fernando Jorge a forma como nos recebeu e como tirou um pouco do seu tempo, para revelar a sua visão global sobre o futuro do nosso país, mas de uma forma geral, da nossa beira interior.

- Publicidade -
Carlos Machado
Carlos Machado
Apresentador do programa e cronista desportivo do jornal ORegiões.

Destaques

- Publicidade -

Artigos do autor

O futebol e o futuro