Segunda-feira,Maio 27, 2024
12.5 C
Castelo Branco

- Publicidade -

Guarda comemora centenário do pensador que se afastou para estar mais perto

Uma cerimónia de homenagem em S. Pedro do Rio Seco, freguesia do município de Almeida, onde Eduardo Lourenço (1923-2020) nasceu há exactamente cem anos, abriu esta manhã, pelas 10h30, o programa oficial das comemorações do centenário do grande ensaísta português, que inclui, além de um congresso organizado pelo Centro de Estudos Ibéricos na Biblioteca Municipal da Guarda, a edição de uma fotobiografia dedicada ao autor e o lançamento do livro Eduardo Lourenço – Uma Geopolítica do Pensamento, de Margarida Calafate Ribeiro e Roberto Vecchi.

Guarda comemora centenário do pensador que se afastou para estar mais perto
DR

As comemorações do centenário do nascimento de Eduardo Lourenço começaram na terça-feira, em Almeida e Guarda, e prolongam-se durante um ano, com dezenas de atividades e o objetivo de celebrar a vida e o pensamento do filósofo e ensaísta. Senhor de uma mente irrequieta, Eduardo Lourenço dedicou-se a temas tão diversos como a literatura ou a política.

O programa comemorativo iniciou-se, precisamente, no dia do aniversário do professor, escritor, ensaísta e filósofo, considerado “um incansável pensador de Portugal, da sua identidade e destino, sendo unanimemente reconhecido como um dos maiores vultos da cultura portuguesa contemporânea”.

Eduardo Lourenço, natural de São Pedro do Rio Seco, no concelho de Almeida, distrito da Guarda, onde nasceu em 23 de maio de 1923, faleceu no dia 01 de dezembro de 2020, com 97 anos.

O arranque das comemorações do centenário do patrono da Biblioteca Municipal da Guarda e do Centro de Estudos Ibéricos (CEI) começaram na aldeia natal do ensaísta, São Pedro do Rio Seco (Almeida), pelas 10h30, com a inauguração de um memorial e de um percurso literário musicado com a participação de alunos.

A Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço (BMEL), na Guarda, receberá, pelas 14h30, a sessão solene de abertura das celebrações.

- Publicidade -

Segundo o município da Guarda, a cerimónia contará com a presença dos membros da direção do CEI, do presidente da Câmara Municipal da Guarda, Sérgio Costa, do reitor da Universidade de Coimbra, Amílcar Falcão, do reitor da Universidade de Salamanca (Espanha), Ricardo Rivero Ortega e do vice-presidente do Instituto Politécnico da Guarda, Manuel Salgado, bem como de familiares do ensaísta.

Contrariado, mas vou…

Após a sessão solene de abertura das comemorações, será inaugurada na BMEL a exposição fotográfica “Contrariado, mas vou…”, da autoria de Alfredo Cunha, seguindo-se o arranque do congresso “Leituras de Eduardo Lourenço”, que se prolongará por quarta-feira.

Ainda na BMEL, pelas 17h30, serão lançados dois livros de referência sobre a vida e obra do pensador: a “Fotobiografia de Eduardo Lourenço” (da autoria de Maria Manuel Baptista, Manuela Cruzeiro e Fernanda de Castro) e “Eduardo Lourenço – Uma Geopolítica do Pensamento” (da autoria de Margarida Calafate Ribeiro e Roberto Vecchi).

O programa também inclui, pelas 18h30, no Jardim José de Lemos, no centro da cidade da Guarda, a inauguração da escultura “Eduardo Lourenço”, do artista plástico Pedro Figueiredo.

O primeiro dia das comemorações do centenário natalício de Eduardo Lourenço termina pelas 21:30, com a realização, no grande auditório do Teatro Municipal da Guarda, do concerto “In Memoriam de Eduardo Lourenço”, pela Orquestra Académica Filarmónica Portuguesa, sob a direção do Maestro Osvaldo Ferreira e a participação especial do ator José Neves.

No segundo dia de atividades, na quarta-feira, pelas 10:00, prossegue na BMEL o congresso “Leituras de Eduardo Lourenço” e, pelas 17h30, terá lugar o lançamento do livro “Vida Partilhada: Todos nós Ibéricos”, de Eduardo Lourenço.

Ainda na BMEL, pelas 18h00, será inaugurada a exposição “Feito de papel com um coração no fundo: Sobrevoando a ‘Mala’ de Eduardo Lourenço”, uma mostra de livros da biblioteca do ensaísta, com curadoria de Maria Manuel Baptista, Fernanda de Castro e Beatriz Stutz.

Todas as iniciativas das comemorações do centenário de Eduardo Lourenço têm entrada livre.

O programa das comemorações do centenário do nascimento de Eduardo Lourenço, que está a ser coordenado pela Câmara Municipal da Guarda e pelo CEI, tem início na terça-feira, data de aniversário do ensaísta, e irá prolongar-se até 23 de maio de 2024.

- Publicidade -

Destaques

- Publicidade -

Artigos do autor