Domingo,Maio 26, 2024
12.5 C
Castelo Branco

- Publicidade -

João de Almeida Garrett

João de Almeida Garrett nasceu no Porto em 04 de Fevereiro de 1799 e faleceu em Lisboa no dia 09 de Dezembro de 1854.

João de Almeida Garrett
DR

João de Almeida Garrett foi um escritor, poeta, dramaturgo e político. Quando ainda criança, devido às invasões napoleónicas, foge com a família para as Ilhas dos Açores – Ilha Terceira; em 1916 regressa ao território continental do Reino de Portugal e cursa Direito em Coimbra. Na cidade dos estudantes escreve um conjunto de poemas, seguindo a corrente neoclássica, toma contactos com as ideias liberais e organiza uma loja maçónica.

Em 1818, João de Almeida Garrett e a sua família passam a usar o apelido Garrett proveniente de uma avó paterna do estudante, escritor e futuro político; em 1820 devido às suas ideias recebe com entusiasmo a revolução liberal; em 1821 fundou a Sociedade dos Jardineiros e voltou aos Açores devido ao seu envolvimento na maçonaria, nesse mesmo ano vai também para Lisboa onde se dedica à escrita de cariz patriótico e conclui a licenciatura de Direito; em 1822, é absolvido devido a uma situação de abuso de liberdade de imprensa, nesse mesmo ano é nomeado secretário particular de Silva Carvalho (Secretário dos Negócios do Reino), sendo chefe de repartição da Instrução Pública; em 1823, parte para o exílio devido ao golpe miguelista da Vila Francada e vai para Reino Unido – Inglaterra; em 1824 vai para Paris, nessa altura adere à corrente do romantismo; em 1825, publica “Camões”, mas já há alguns anos que se dedica à arte da escrita. Nesta altura, ou seja, em 1825 aparece o romantismo em Portugal; em 1826, com a outorga da Carta Constitucional, recupera o lugar de Secretário de Estado; em 1827, é preso, mas logo libertado devido aos seus escritos; em 1828, sai novamente do país e volta para Inglaterra. Com o Rei D. Miguel I e a instalação de uma Monarquia Tradicional, fica no Reino Unido até 1831; em 1831 passa por França onde se integra num batalhão de caçadores; em 1832, está novamente nas ilhas dos Açores para se incorporar uma expedição militar do Rei D. Pedro IV, que desembarca no Mindelo e essas forças militares ocupam o Porto. É reintegrado como oficial na Secretaria de Estado do Reino e, nesse mesmo ano, é encarregado de criar uma comissão para o Código Criminal e o Código Comercial. Em vão, tenta uma via diplomática com vários países da Europa; em 1835 regressa definitivamente ao Reino de Portugal (Portugal Continental).

Almeida Garrett em 1838, foi nomeado cronista-mor do Reino; em 1839, organiza um curso de leituras públicas de história; em 1841, passa para a oposição, após o avanço da Lei Décima; em 1842, vai contra a restauração da Carta proclamada no Porto por Costa Cabral; em 1845, seguindo a oposição contra a Carta e contra o cabralismo, apoia Sá da Bandeira; em 1847, regressa à vida pública, pois havia apoiado a revolução da Maria da Fonte que deu seguimento à guerra da Patuleia; em 1851, Almeida Garrett volta novamente para a política onde vai ocupar vários cargos, recebendo o título nobiliárquico de Visconde de Almeida Garrett, sendo deputado e ministro.
João de Almeida Garrett, deixou também uma vasta obra literária entre 1821 e 1851.

- Publicidade -
Luis Duque-Vieira
Luis Duque-Vieira
Colaborador desde a fundação d`ORegiões como Cronista sobre várias temáticas.

Destaques

- Publicidade -

Artigos do autor