Terça-feira,Maio 21, 2024
8.7 C
Castelo Branco

- Publicidade -

Mais de 200 alunos de Idanha-a-Nova protestam contra falta de transportes públicos do município

Um município que acolhe uma Escola Superior de Gestão, mas não dá condições aos seus alunos para se deslocarem nos períodos escolares dentro da localidade, sobretudo aos fins de tarde e fins-de-semana. Vai ainda mais longe: a rede de transportes é de tal forma deficiente que os impossibilita de conhecer o próprio concelho que escolheram para estudar e de se deslocarem de e para as suas regiões de origem, estando obrigados a recorrer a transporte particular para o efeito.

Falamos de Idanha-a-Nova e da inexistência de transportes públicos para deslocação entre concelhos limítrofes e, sobretudo para Castelo Branco (capital de distrito), onde se encontram centralizados os transportes rodoviários e ferroviários que permitem aceder a todo o país.

Mais de 200 alunos de Idanha-a-Nova protestam contra falta de transportes públicos do município
DR

Têm sido muitas as queixas e reclamações de estudantes e professores da Escola Superior de Gestão de Idanha-a-Nova do Instituto Politécnico de Castelo Branco, que inclusivamente já levaram a questão ao presidente da Câmara, Armindo Jacinto, que se escusa a prestar qualquer declaração ou resposta.

Em comunicado que chegou à redação d’O Regiões, os alunos vêm agora informar que formalizaram “um abaixo-assinado subscrito por cerca de 200 alunos desta Escola a manifestar o seu desagrado e preocupação pela precariedade dos transportes (in)existentes no concelho de Idanha-a-Nova e de Idanha-a-Nova para Castelo Branco”.

Mais de 200 alunos de Idanha-a-Nova protestam contra falta de transportes públicos do municípioMais de 200 alunos de Idanha-a-Nova protestam contra falta de transportes públicos do municípioMais de 200 alunos de Idanha-a-Nova protestam contra falta de transportes públicos do município

O documento revela “a preocupação dos estudantes da Escola Superior de Gestão de Idanha-a-Nova sobre algo que se afigura como absolutamente essencial para a sustentabilidade da Escola Superior de Gestão em Idanha-a-Nova, e do qual surge a vontade séria, livre e esclarecida dos seus alunos de denunciar a presente situação que se afigura absolutamente insustentável para a sua permanência nesta Escola e concelho”.

- Publicidade -

A Escola Superior de Gestão de Idanha-a-Nova assume-se como o principal contribuinte líquido para a atração e fixação de jovens no concelho e no território, porém, as deficitárias acessibilidades “constituem um grave constrangimento à sustentabilidade do Ensino Superior em Idanha-a-Nova”, sublinha o texto.

De acordo com os Censos 2021, Idanha-a-Nova regista apenas 8.340 habitantes em todo o concelho e, nos últimos 20 anos, perdeu 38,65% da sua população, mais de um terço da sua população. É caso para dizer que, se o problema da inexistente rede de transportes do município não for resolvido em breve, perderá mais umas centenas de habitantes a curto prazo.

- Publicidade -

Destaques

- Publicidade -

Artigos do autor

A Aceitação