Segunda-feira,Abril 22, 2024
11.5 C
Castelo Branco

- Publicidade -

Ordem dos Médicos suspende dois cirurgiões do Hospital de Faro após denúncia

Em causa estão denúncias feitas por uma jovem médica de alegadas más práticas. Cirurgiões estão suspensos preventivamente por seis meses.

Ordem dos Médicos suspende dois cirurgiões do Hospital de Faro após denúncia
DR

A Ordem dos Médicos (OM) suspendeu temporariamente, pro meio ano, dois cirurgiões na sequência de denúncias de alegadas más práticas, feitas por uma médica, no Hospital de Faro.

Entretanto, o bastonário da Ordem dos Médicos, Carlos Cortes, confirmou a notícia avançada pelo Expresso e pelo Notícias ao Minuto da suspensão por seis meses. Os dois médicos “estão suspensos por um prazo de seis meses. É uma suspensão preventiva dado haver fortes indícios de má prática”, adiantou Carlos Cortes à agência Lusa.

Segundo o bastonário, esta suspensão preventiva, que é pública através de um edital do presidente do Conselho Disciplinar da Região Sul da OM, abrange o diretor do serviço, assim como um outro cirurgião do hospital algarvio.

Em causa está uma queixa efetuada em abril pela médica interna, Diana Pereira, na Polícia Judiciária e divulgada na sua conta na rede social Twitter sobre “11 casos ocorridos entre janeiro e março” no hospital de Faro de “erro/negligência” no serviço de cirurgia.

De acordo com Diana Pereira, dos 11 casos reportados, três doentes morreram, dois encontravam-se na altura internados nos cuidados intermédios e os restantes tiveram lesões corporais associadas aos alegados erros médicos.

- Publicidade -

Carlos Cortes adiantou ainda que a suspensão dos dois cirurgiões é, “obviamente, por segurança dos doentes”, mas também para permitir que o conselho disciplinar continue a desenvolver as diligências internas de análise dos vários casos que, na altura, foram denunciados.

Paralelamente, a OM criou uma comissão independente, composta por cinco cirurgiões que “estão a analisar de uma forma mais aprofundada, do ponto de vista técnico-científico, todos estes casos”, referiu também o bastonário.

“Assim que tiverem toda esta informação compilada, irão remetê-la ao conselho disciplinar para, com mais propriedade, poder avaliar e, se for caso disso, aplicar as devidas sanções”, explicou.

Carlos Cortes “felicitou o excelente trabalho desenvolvido” pelo Conselho Disciplinar da Região Sul, que demonstrou “um grande rigor e uma celeridade que é inédita” nessas situações.

“O conselho disciplinar, de forma autónoma e independente, vai continuar, julgo eu, a analisar estes processos e depois haverá de dar mais indicações sobre as conclusões deste mesmo processo”, disse.

Na altura em que foram feitas as denúncias, a Entidade Reguladora da Saúde (ERS) e a Inspeção Geral das Atividades em Saúde (IGAS) anunciaram que iriam investigar a alegada negligência no serviço de cirurgia do Hospital de Faro para “cabal esclarecimento” da situação.

Estas denúncias levaram também o Ministério Público a instaurar um inquérito, que decorre no Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Faro.

- Publicidade -

Destaques

- Publicidade -

Artigos do autor

19.04.2024