Terça-feira,Junho 18, 2024
16 C
Castelo Branco

- Publicidade -

Páscoa da Libertação

Com o advento do cristianismo, a Páscoa adquiriu um novo significado, indicando a passagem da morte à vida por Jesus e a passagem a uma vida nova para os cristãos, libertados do pecado, graças ao sacrifício de Jesus. Por isso, a Páscoa cristã é dita Páscoa da ressurreição, enquanto a Páscoa judaica é a Páscoa da libertação.

(in Wikipédia)

Páscoa da Libertação
DR

No início, com uma introdução breve com alusivo à Páscoa, e porque é tempo de a festejar – começo hoje assim o texto da minha crónica!

Com este deambular Pascal, dou início também com “batida na tecla” profícua ao ver as notícias internacionais, com uma certa preocupação (…) do globo, com a China em “diabruras” de exercícios militares de fogo real ao largo do estreito de Taiwan!

Na Nicarágua, a Semana Santa marcada pelas procissões de rua proibidas pelas autoridades de Manágua; em França, 11ª ação de protesto contra o aumento da idade da reforma; a Rússia acusa Portugal de roubar crianças ucranianas. O marido de Nicola Sturgeon, ex-primeira-ministra da Escócia, foi detido, e Donald Trump acusado de 34 crimes de falsificação de documentos.

Com a fé Pascal, podemos “viajar” também nas notícias nacionais como a ASAE desmantela dois locais de abate clandestino no Norte, um Homem de 60 anos baleado pelo irmão no Porto e nem o Ministério da Economia escapa aos piratas informáticos!

- Publicidade -

Páscoa cristã é dita Páscoa da ressurreição:

O antigo comandante da Base de Ovar gastou 30 mil euros em comida e vinho para a família; com esta notícia até faz crer que o pobre “Comandante” andaria a passar mal – ou seria uma forma para alertar para os “parcos salários” das altas patentes militares?

O Governo acaba com uso obrigatório de máscara na saúde e quer monitorizar redes sociais – com esta última notícia (Governo quer monitorizar redes sociais) já dá para pensar se, com o aproximar das comemorações do 25 de Abril, não é despropositada esta forma de censura “Pidesca”, que cada vez mais vemos aos poucos com as atitudes deste governo “socialista absoluto de poder”, carregadas de “grandes pecados”, numa (des)governação paupérrima e insalubre para os portugueses.

TAP: a telenovela, que faz o deleite na hora de jantar aos portugueses com ficção (des)governativa do “despoder absoluto”, mais em palpos de aranha do que outra coisa – tudo menos “boa governação”, só com casos: (…) TAP ainda não pediu a Alexandra Reis para devolver indemnização (…); Marcelo diz que nunca pediu para alterar voo da TAP em março (…); Medina pressionou CEO da TAP a demitir-se, e ela diz : “Sou um bode expiatório numa batalha política”; e o melhor desta telenovela TAP, ainda sem fim à vista – os Pilotos da TAP desconvocaram greve prevista para o período da Páscoa!

No regional, o folhetim de “Idanha-a-Nova” – Novas coimas chegam à MASCAL: mandato de Idalina Costa em cheque (…); Autarca de Idanha-a-Nova acusada de falsificação (…); e para cúmulo de uma governação camarária onde só o presidente Armindo Jacinto manda: (…) Vereadores recorrem a tribunal para repor legalidade democrática em Idanha-a-Nova!

A notícia de destaque no local: PJ resgata mulher escravizada há 23 anos em Castelo Branco, com esta notícia – é enquanto a Páscoa judaica é a Páscoa da libertação!

 

- Publicidade -
Fernando Jesus Pires
Fernando Jesus Pireshttps://oregioes.pt/fotojornalista-fernando-pires-jesus/
Jornalista há 35 anos, trabalhou como enviado especial em Macau, República Popular da China, Tailândia, Taiwan, Hong Kong, Coréia do Sul e Paralelo 38, Espanha, Andorra, França, Marrocos, Argélia, Sahara e Mauritânia.

Destaques

- Publicidade -

Artigos do autor