Terça-feira,Maio 21, 2024
8.7 C
Castelo Branco

- Publicidade -

PJ detém fiscais da Câmara da Figueira da Foz

A PJ deteve fiscais da Câmara da Figueira da Foz suspeitos de receberem “vantagens indevidas” Segundo a Judiciária, o modo de atuação dos arguidos “passava pela exigência de quantias monetárias na sequência de pressões no âmbito de procedimentos relacionados com projetos de obras”.

A Polícia Judiciária (PJ) deteve dois fiscais da Câmara Municipal da Figueira da Foz, no distrito de Coimbra, por suspeita da prática de crimes de corrupção e abuso de poder, afirmou hoje aquela organização policial.

A operação policial permitiu cumprir “oito mandados de busca domiciliárias e não domiciliárias e duas detenções, no âmbito de uma investigação de criminalidade económico-financeira”, começa por esclarecer fonte oficial, acrescentando que ” a investigação da Diretoria do Centro da PJ, em inquérito crime titulado pelo Departamento de Investigação e Ação Penal Regional de Coimbra, incide sobre a atuação concertada dos detidos, cujo objeto visa apurar a eventual prática de crimes de corrupção e abuso de poder”.

Os elementos até agora recolhidos levantam suspeitas sobre a forma como os detidos terão exercido a sua atividade: em causa estão “fiscais dos serviços de fiscalização da Câmara Municipal da Figueira da Foz e com responsabilidades diretas na fiscalização do cumprimento da legislação por parte dos munícipes”, que “terão solicitado e aceite vantagens indevidas para omissão da prática de atos relacionados com as suas funções”.

Segundo a Judiciária, o modo de atuação dos arguidos passaria pela “exigência de quantias monetárias na sequência de pressões no âmbito de procedimentos relacionados com projetos de obras”.

Com as buscas agora realizadas foi possível recolher “prova pessoal” e “prova de natureza documental e digital”, refere a mesma nota, sublinhando que “a investigação regista e reconhece a colaboração dos serviços do município em causa”.

- Publicidade -

Nas próximas horas os detidos serão presentes ao Tribunal de Instrução Criminal de Coimbra, para primeiro interrogatório e aplicação das medidas de coação.

- Publicidade -

Destaques

- Publicidade -

Artigos do autor

A Aceitação