Segunda-feira,Abril 22, 2024
8.7 C
Castelo Branco

- Publicidade -

Preso deita fogo no Hospital-Prisão de Caxias

Um incêndio, entretanto, extinto, deflagrou sábado no Hospital-Prisão de Caxias sem causar feridos, informou a Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP), indicando que o fogo foi provocado por um doente psiquiátrico.

Um foco de incêndio deflagrou pelas 15h26 de ontem no interior do Hospital-Prisão de Caxias, em Oeiras. Entre presos, guardas e funcionários não prisionais da cadeia, foram assistidas 26 pessoas no interior do hospital da prisão. Dois guardas prisionais, dois enfermeiros, e um auxiliar do hospital prisão foram conduzidos ao Hospital Amadora-Sintra para receber oxigénio.

Preso deita fogo no Hospital-Prisão de Caxias
DR

De acordo com a DGRSP, um doente do foro psiquiátrico, internado no quarto piso do Hospital prisional, pegou fogo ao colchão e roupas de cama do espaço em que estava alojado, mas as chamas foram extintas “cerca de 15 minutos depois”.

De acordo com a mesma fonte, foi necessário evacuar a ala ao nível do quarto piso, de onde foram retiradas 26 pessoas, das quais 22 são reclusos, dois são guardas prisionais e outros dois enfermeiros.

A fonte da DGRSP adiantou não haver registo de feridos, sendo que “apenas um elemento da vigilância teve de ser assistido no hospital porque inalou fumo”, segundo a informação
transmitida à Lusa.

- Publicidade -
Alfredo Miranda
Alfredo Miranda
Jornalista desde 1978, privilegiando ao longo da sua vida o jornalismo de investigação. Tendo Colaborado em diferentes órgãos de Comunicação Social portugueses e também no jornal cabo-verdiano Voz Di Povo.

Destaques

- Publicidade -

Artigos do autor