Terça-feira,Junho 18, 2024
18.1 C
Castelo Branco

- Publicidade -

PSD ganha na Madeira sem maioria absoluta

De acordo com a sondagem à boca das urnas o PSD vence as eleições sem maioria absoluta. Mas, ao que se sabe, Miguel Albuquerque vai revelar ainda este domingo “o parceiro favorito” se não tiver maioria absoluta.

O PSD deve voltar a vencer as eleições na Madeira. A projeção da RTP, às 19 horas, dá vantagem ao partido liderado por Miguel Albuquerque, sem o limita máximo do PS a chegar perto do limite mínimo dos sociais-democratas. O PSD deve ter entre 33 e 38% e o PS ficará entre os 21 e os 25%.

De acordo com a mesma projeção, o Juntos Pelo Povo (JPP) será o terceiro partido com uma votação entre os 16 e os 19%. Depois, ficará o Chega, com 8 a 11%. O CDS tem uma previsão de 2 a 5% e, depois, IL, PAN, Bloco e CDU terão entre 1 e 3%, apenas com a IL a garantir eleição de um deputado.

Apesar destes resultados, o PS acredita que ainda “pode existir uma maioria à esquerda, pode existir uma maioria à direita”. O porta-voz socialista no Funchal, Duarte Freitas, considera que a projeção tem intervalos muito grandes. “Lá mais para o final da noite saberemos que caminhos vai a Madeira trilhar”, afirma o dirigente socialista.

Vítor Freitas, do PS Madeira, foi o primeiro a reagir à primeira projeção, sublinhando que “há uma clara vontade de mudança na região da Madeira”. O representante salienta que o CDS, a IL, o Chega e o PAN todos prometeram não avançar para uma coligação com o PSD de Albuquerque. “Quem assim falou para o eleitorado hoje não tem condições de reverter essa palavra”.

“O que posso referir em relação aos números, tudo pode acontecer – pode existir uma maioria à esquerda ou uma maioria à direita”, refere.

- Publicidade -

Abstenção entre 44% e 49%

A abstenção nas legislativas regionais de hoje na Madeira deverá situar-se entre 44% e 49%, segundo uma estimativa do Centro de Estudos e Sondagens de Opinião da Universidade Católica Portuguesa, divulgada pela RTP às 18:30.

A estimativa foi calculada com base nos resultados da participação eleitoral às 16:00 indicados pela Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna (SGMAI).

De acordo com dados divulgados anteriormente pela SGMAI, a afluência dos eleitores era de 40,52% até às 16:00, ligeiramente acima da verificada em 2023, nas legislativas regionais anteriores (39,9%).

A abstenção acabou por ficar nos 46,65% no ano passado e nos 44,5% em 2019. Em 2015, com uma taxa de abstenção de 50,42%, bateu-se o recorde desde 1976, quando se realizaram as primeiras eleições para a Assembleia Legislativa da Madeira.

- Publicidade -

Destaques

- Publicidade -

Artigos do autor