Domingo,Julho 14, 2024
26.4 C
Castelo Branco

- Publicidade -

Metro do Porto nega atraso de 700 dias na linha Rosa

A Metro do Porto desmentiu esta terça-feira as declarações do grupo de trabalho da Assembleia Municipal do Porto, que alegou um atraso de 700 dias na construção da linha Rosa, ligando São Bento à Casa da Música

Na segunda-feira, o grupo de trabalho da Assembleia Municipal do Porto anunciou, numa conferência de imprensa, que duas frentes de obra da linha Rosa acumulavam, até 30 de abril, um atraso de 700 dias, o que equivale a mais de dois anos.

Em resposta, a Metro do Porto classificou esta informação como “totalmente falsa” e assegurou que a obra estará concluída até julho do próximo ano. “A obra da linha Rosa foi consignada ao consórcio Ferrovial/ACA a 16 de março de 2021, com um prazo de execução de 42 meses, tendo os trabalhos começado em outubro de 2021”, esclareceu a empresa. No entanto, admitiu que a conclusão dos trabalhos ocorrerá “alguns meses” após o prazo inicial.

A Metro do Porto recordou que a consignação da obra decorreu durante a situação de calamidade devido à pandemia de Covid-19, com o estado de alerta prolongado até setembro de 2022. A empresa apontou ainda os impactos da guerra na Ucrânia, que afectaram as cadeias logísticas, aumentaram os custos e provocaram a indisponibilidade de matérias-primas e equipamentos.

Em conferência de imprensa, o grupo de trabalho da Assembleia Municipal do Porto expressou preocupações sobre os atrasos nas obras do metro e a falta de informação partilhada com os cidadãos.

No início de maio, a Metro do Porto completou a escavação do primeiro túnel da linha Rosa, sob a Rua dos Clérigos, prevendo concluir os restantes dois túneis ainda este ano e iniciar a operação da linha em julho de 2025. A linha Rosa, que ligará São Bento à Casa da Música, terá estações intermédias no Hospital de Santo António e na Praça da Galiza.

- Publicidade -

O custo total da linha Rosa é de 304,7 milhões de euros. Em julho do ano passado, o valor total das obras de expansão da linha Amarela e da linha Rosa aumentou em cerca de 20 milhões de euros, totalizando 511 milhões, conforme uma resolução do Conselho de Ministros.

A Metro do Porto opera actualmente seis linhas e aguarda a inauguração da extensão da linha Amarela (D) entre Santo Ovídio e Vila d’Este (Vila Nova de Gaia) e a conclusão das obras da linha Rosa (G) entre São Bento e Casa da Música, assim como da linha de metrobus entre Casa da Música e Praça do Império.

- Publicidade -

Destaques

- Publicidade -

Artigos do autor