Sábado,Julho 13, 2024
25.4 C
Castelo Branco

- Publicidade -

Oeiras vai ter quatro novos polos da Universidade de Lisboa

A Universidade Nova de Lisboa vai ampliar a instalação de polos universitários no concelho de Oeiras, numa estratégia partilhada com o Município de criar no território um centro científico e de inovação, assente na captação de conhecimento e concentração de talento. No dia 26 de junho, a Câmara Municipal de Oeiras e a Universidade NOVA de Lisboa assinaram um memorando de entendimento que visa a instalação no concelho destes projetos estratégicos da NOVA com forte impacto no ecossistema de Ciência e Inovação a nível nacional.

A Universidade Nova de Lisboa vai ampliar a instalação de polos universitários no concelho de Oeiras, numa estratégia partilhada com o Município de criar no território um centro científico e de inovação, assente na captação de conhecimento e concentração de talento.

Para se juntarem ao Instituto de Tecnologia Química e Biológica, já instalado no concelho há mais de duas décadas, vão agora nascer em Oeiras quatro novas escolas, laboratórios e plataformas estratégicas da Universidade Nova de Lisboa, a começar pela Nova Information Management School / Instituto de Gestão de Informação da NOVA (Nova IMS), uma escola de vanguarda na área da conversão de dados em valor, com a ambição de ter impacto no talento que forma, nas organizações públicas e privadas com quem trabalha e na sociedade em geral.

Outro investimento será feito na criação da NOVA Institute for Medical Systems Biology (NIMSB) e Campus das Ciências da Vida de Oeiras, que pretende ser uma alavanca decisiva para a convergência da investigação biomédica da NOVA, quer ao nível da identificação de temas unificadores que possam ser adotados como missões de grande impacto na saúde, quer através da concentração geográfica de uma grande parte das infraestruturas avançadas de investigação num grande polo em Oeiras onde já estão instalados o ITQB NOVA, o iBET e o INIAV e onde também se irá sedear o Centro de Investigação Biomédica da Universidade Católica Portuguesa.

Em paralelo, a Universidade compromete-se a instalar nesse mesmo campus universitário outros grupos de Investigação Biomédica da NOVA, totalizando uma população prevista de aproximadamente 300 novos investigadores, dando origem ao maior campus de ciências da vida do país, e a um dos mais relevantes da Europa.

A Nova irá criar também o Center for Contemporary Art & Culture (Nova CAC), um Centro de Formação, Investigação e Inovação da NOVA que nascerá junto ao Centro de Arte Contemporânea de Oeiras, previsto na reabilitação da Quinta da Cartuxa, com um programa de atividades ligadas à Arte e que inclui uma residência para artistas. Prevê-se que traga para o Município aproximadamente 50 a 100 investigadores e 200 novos estudantes anualmente.

- Publicidade -

Por fim, nascerá ainda em Oeiras um Hub Gastronómico que visa o desenvolvimento de atividades de inovação e formação na área da Gastronomia, pretendendo afirmar Oeiras como uma Capital Gastronómica, com ofertas formativas para especialistas, população e turistas. O Laboratório irá conduzir atividades de inovação, incluindo o desenvolvimento de novos produtos gastronómicos e o apoio aos produtores e indústria para valorização dos produtos made in Portugal.

Construir cidade do conhecimento

No memorando de entendimento, assinado no Templo da Poesia, o Reitor da Universidade NOVA de Lisboa, João Sàágua, assinalou a parceria estratégia com o Município, com um reconhecimento e agradecimento especial ao Presidente da Câmara pela sua visão estratégica e valores.

“Agradecimento pela sua capacidade de concretização e pelo apoio que sempre deu aos projetos da Universidade Nova. Há uma confiança total dos dois lados, empenho e um enorme compromisso. Construímos juntos uma Cidade do Conhecimento que é benéfico para Oeiras e para o País”, sustentou.

Por seu turno, o presidente da Câmara de Oeiras, Isaltino Morais, enalteceu a parceria firmada, que “fortalece a posição de Oeiras na sua estratégia para a promoção da Ciência e Inovação e concentração de talento”.

“Estamos a criar um verdadeiro ecossistema de conhecimento, com infraestruturas de ponta e de inovação que irão contribuir para o desenvolvimento económico e cultural do Município”, frisou.

Isaltino Morais acrescentou que o Município vai continuar a apostar nesta estratégia de afirmar o território na excelência da Ciência, Inovação, Investigação e Ensino, prevendo-se que seja feito um investimento na ordem dos 30 milhões de euros até 2030.

- Publicidade -

Destaques

- Publicidade -

Artigos do autor