Quinta-feira,Abril 18, 2024
12 C
Castelo Branco

- Publicidade -

PSD pede explicações ao Governo sobre contratação de privados para fiscalizar preços dos alimentos

Partido quer saber porque é que não são trabalhadores da Administração Pública a fiscalizar a evolução dos preços.

O PSD questionou o Governo sobre a contratação de empresas privadas para fiscalizar preços dos alimentos, querendo saber se não existem no Estado “recursos humanos suficientes, aptos ou competentes” para assegurar esta fiscalização, avançou a agência Lusa.

Numa pergunta dirigida à ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, o grupo parlamentar do PSD questiona “qual a justificação para que não sejam trabalhadores da Administração Pública a executar as funções de fiscalização da evolução dos preços dos produtos alimentares”.

PSD pede explicações ao Governo sobre contratação de privados para fiscalizar preços dos alimentos
DR

“Não existem, quer junto das diferentes autoridades inspetivas, quer junto do gabinete de Planeamento, Políticas e Administração Geral do Ministério da Agricultura e da Alimentação, recursos humanos suficientes, aptos ou competentes para assegurar as funções de fiscalização da evolução dos preços dos produtos alimentares?”, interrogam os deputados sociais-democratas.

Em causa está o anúncio feito pela ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, de que o Governo lançou um concurso público internacional para “contratar uma entidade que vai referenciar os preços ao consumidor dos últimos três anos e que vai atualizar a todo o tempo esses mesmos dados.

Os deputados da bancada ‘laranja’ consideram “incompreensível que o Governo tenha recorrido a um outsourcing, quando, simultaneamente, batem-se todos os recordes de números de funcionários públicos, que já vão em mais de 742 mil, e quando há mais de um ano foi criado um Observatório de Preços, que tem, precisamente, por missão a monitorização e análise da formação dos preços, verificando os mesmos junto do consumidor”.

- Publicidade -

O grupo parlamentar do PSD diz não entender porque é que o Governo não recorre aos trabalhadores do Estado, nomeadamente, “à capacidade inspetiva dos seus diversos serviços de fiscalização, para executar estas tarefas”.

“Até porque, o referido acordo, será acompanhado por uma comissão destinada a garantir que os compromissos são cumpridos, a qual é constituída, entre outras entidades, pela Autoridade da Concorrência, a Autoridade Tributária e a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica”, argumentam os sociais-democratas.

Por outro lado, continuam no texto, o Observatório de Preços “tem por missão a avaliação dos impactos da conjuntura de mercado nos preços ao nível do consumidor, sendo o apoio logístico e administrativo necessário ao funcionamento do mesmo assegurado pelo Gabinete de Planeamento, Políticas e Administração Geral do Ministério da Agricultura, o qual conta atualmente com 235 trabalhadores”.

“Para o PSD, esta opção para além das consequências em termos de custos, representa uma clara desvalorização e desconsideração lançada sobre os trabalhadores da Administração Pública, com a qual não podemos concordar”, acrescentam os deputados.

O Governo assinou contratos com a Euroteste e com a Consulai, no âmbito do Observatório de Preços, para obter informações sobre os preços para o consumidor, bem como a metodologia de análise da cadeia de valor.

O Observatório de Preços “Nacional é Sustentável” tem por objetivo acompanhar os custos e preços ao longo da cadeia de abastecimento agroalimentar.

- Publicidade -

Destaques

- Publicidade -

Artigos do autor

16.04.2024