Domingo,Julho 14, 2024
18.2 C
Castelo Branco

- Publicidade -

Castelo Branco e os Sabores de Perdição: A Hipocrisia de uma Gestão Ineficaz

A Câmara Municipal de Castelo Branco anuncia com pompa e circunstância o regresso dos “Sabores de Perdição”, um evento que visa promover os produtos agro-alimentares locais nos dias 6, 7 e 8 de setembro de 2024. Após três anos de interregno, a autarquia afirma reconhecer o potencial económico do setor agro-alimentar da região, destacando a qualidade e tradição dos produtos locais. No entanto, esta reedição do evento não passa de uma tentativa desesperada de camuflar a incompetência que tem caracterizado a gestão de Leopoldo Rodrigues, o presidente da câmara

O discurso oficial, disponível no site da autarquia, é um verdadeiro exercício de retórica vazia. Frases como “característicos e únicos, os nossos produtos – sabores e saberes – são cada vez mais valorizados” e “pretendemos apoiar a promoção e divulgação de produtos de excelência de Castelo Branco” são repetidas ad nauseam, mas não escondem a realidade de uma autarquia desorientada. Leopoldo Rodrigues e a sua equipa parecem estar mais preocupados em elaborar discursos pomposos do que em implementar políticas efetivas que tragam benefícios reais à população.

Rodrigues, com a sua notória incapacidade enquanto autarca, matou eventos que ao longo dos anos se haviam consolidado, fidelizando expositores e visitantes. Agora, numa tentativa de ressuscitar o que ele próprio enterrou, continua a desgovernar em pleno delírio de incompetência, rodeado por assessores que espelham a sua inépcia. Esta gestão caótica tem transformado os discursos de Rodrigues em verdadeiras homilias dominicais, onde, como um padre de aldeia, tenta apaziguar os ânimos com promessas vãs, ajudado por acólitos que mais parecem ecoar a sua incapacidade.

Os albicastrenses estão exaustos de contribuir para este peditório sem fim. As palavras de Rodrigues, disfarçadas de promessas de progresso, são apenas um véu sobre uma realidade de inação e desgoverno. O evento “Sabores de Perdição” poderia ser uma excelente oportunidade para a promoção dos produtos da Beira Baixa, mas nas mãos desta autarquia, corre o risco de ser apenas mais um exercício de vaidade política, sem resultados concretos para a região.

A promoção de uma alimentação saudável, o convívio e o bem-estar são objetivos louváveis, mas quando propostos por uma gestão que tem demonstrado repetidamente a sua inaptidão, tornam-se promessas vazias. A verdadeira valorização dos produtos regionais de Castelo Branco exige mais do que eventos esporádicos e discursos floreados; necessita de uma estratégia coerente e sustentada, algo que Rodrigues e a sua equipa não têm conseguido proporcionar.

Em resumo, a retoma dos “Sabores de Perdição” é uma tentativa descarada de recuperar a confiança perdida, sem reconhecer as falhas estruturais da gestão atual. É urgente que os albicastrenses exijam mais dos seus líderes e que se ponha fim a este ciclo de promessas incumpridas e eventos mal geridos. A verdadeira redenção dos Sabores de Perdição só será possível quando a autarquia mostrar capacidade de governar com eficácia e visão estratégica, algo que, até agora, tem faltado de forma gritante.

- Publicidade -
Fernando Jesus Pires
Fernando Jesus Pireshttps://oregioes.pt/fotojornalista-fernando-pires-jesus/
Jornalista há 35 anos, trabalhou como enviado especial em Macau, República Popular da China, Tailândia, Taiwan, Hong Kong, Coréia do Sul e Paralelo 38, Espanha, Andorra, França, Marrocos, Argélia, Sahara e Mauritânia.

Destaques

- Publicidade -

Artigos do autor